Complexo da Pampulha

O complexo da pampulha é o mais famoso cartão postal de Belo Horizonte. O local abriga um conjunto de intervenções urbanísticas e construções que entrelaçam arquitetura, as artes plásticas e paisagismo arquitetado por Oscar Niemeyer. No complexo está localizada a igreja de São Francisco de Assis construída em 1943, sendo um dos maiores cartões postais da cidade. Ao redor das construções está também a Lagoa da pampulha que tem cerca de 18 quilômetros de extensão, compondo um cenário onde são realizadas diversas atividades como caminhadas, ciclismos, competições internacionais entre outras coisas.



Mirante do Mangabeiras

O Mirante do Mangabeiras está localizado no bairro das Mangabeiras, em uma área de aproximadamente 35.400 m2. Com dois decks de madeira instalados, o espaço proporciona aos visitantes, uma linda visão panorâmica da cidade e do Parque das Mangabeiras. O mirante localiza-se no ponto mais alto do Parque das Mangabeiras, local ideal para ver a bela paisagem da cidade ao redor ao Pôr do sol.



Museu de arte Popular Cemig

O museu compõe um amplo espaço de divulgação e apreciação da arte popular de todo o Estado de Minas Gerais. O acervo do museu abriga obras de diferentes artistas com aproximadamente 800 peças, dispondo de quatro salas de exposições de longa duração, auditório multiuso, café, loja, centro de informação, além de um ambiente reservado a mostras temporárias. Um dos grandes destaques do museu é a Sala Grandes Mestres onde estão reunidos grandes nomes da arte popular mineira, como GTO, Artur Pereira, Zefa, Zezinha, Placedina, Ulisses Pereira, Isabel Mendes e Noemiza.



Praça Rui Barbosa

A Praça Rui Barbosa está situada na região central de Belo Horizonte. É mais conhecida como Praça da Estação por estar localizada em frente ao prédio da antiga estação da Estrada de Ferro Central do Brasil, hoje Museu de Artes e Ofícios (MAO). A praça tem grande valor histórico e arquitetônico, tendo sido historicamente a porta de entrada de toda a matéria-prima utilizada na construção da nova capital de Minas Gerais, no final do século XIX, também o primeiro relógio público da cidade foi instalado no alto da torre do primitivo prédio que abrigou a Estação Ferroviária. Destacam-se na praça três conjuntos de estátuas em mármore, um representado as quatro estações, outro dois leões e dois tigres e um terceiro de Ninfas situado numa fonte. As estátuas são réplicas de um conjunto de 10 obras colocadas na praça nos primeiros anos da cidade..


Palácio das Artes

O Palácio das Artes, vinculado à Fundação Clóvis Salgado, é o maior centro de produção, formação e difusão cultural de Minas Gerais e um dos maiores da América Latina. Está localizado em Belo Horizonte e ocupa uma área 18.000 m² dentro do Parque Municipal Américo Renné Giannetti. Inaugurado em 1971, foi projetado originalmente por Oscar Niemeyer. O complexo cultural dispõe de recursos cênicos e acústicos de elevado padrão técnico para a montagem de óperas, peças teatrais, concertos, espetáculos de dança e shows de música popular, além de salas adequadas e confortáveis para exposições, exibição de filmes, lançamento de livros, palestras, congressos e seminários.




Em sua 8ª edição o Congresso Internacional CQ está sendo fomentado pelas seguintes instituições:


Realização e Apoio

Instituto Social Iris
ABCP
REDE CQ
CRCMG
Embaixada Espanhola
FONDFC
APCASP

Patrocínio

ANFIP
FENAFISCO
PROJETO ANFIP FENAFISCO
FUCAPE
SERASA EXPERIAN